Há diferença entre psicologia clínica e psicologia da saúde?

terça-feira, 15 de março de 2011

Vivendo o Bullying


A palavra inglesa Bullying ainda não tem uma tradução para o português, mas significa, usar o poder ou força para intimidar, excluir, implicar, humilhar, não dar atenção, fazer pouco caso e perseguir os outros, sendo ainda pouco conhecida há uma pratica freqüente principalmente nas escolas.

O primeiro a relacionar a palavra ao fenômeno foi Dan Olweus, professor da Universidade da Noruega. Ao descobrir que a maior tendência de suicídios adolescentes era porque muitos desses jovens tinham sofrido algum tipo de ameaça, e que por tanto este era um mal a ser combatido.

Uma pessoa é vítima de bullying quando ele, ou ela, é exposto, repetidamente e ao longo do tempo, a ações negativas por uma ou mais pessoas.

Nesse caso "ações negativas" é considerado quando alguém intencionalmente provoca dor ou desconforto a outra pessoa. Estas ações negativas podem ser verbalizadas, físicas ou psicológicas.

O bullying pode ser praticado por uma pessoa, no caso o agressor, ou por um grupo de pessoas. E o alvo também pode ser um único indivíduo, no caso a vitima, ou também por um grupo de pessoas.

O Bullying começou a ser pesquisado a cerca de dez anos atras na Europa, quando se descobriu o que estava por traz de muitas tentativas de suicídios entre adolecentes. Nem pais nem professores davam muita atenção para as ofenças das quais julgavam bobas demais para maiores consequências.

Este é um grande problema nas escolas hoje em dia, nos quais nem os professoes conseguem escapar. Professores também acabam tornando-se vítimas de alunos agressores, dos quais são obrigados a suportar discriminação, humilhação e ameaças veladas de colegas insensíveis, invejosos e vingativos.

O filme "Evil, Raizes do Mal" retrata a história de um garoto atormentado de 16 anos, tratado com violência pelo padrasto, também trata seus colegas da escola com violência e acaba sendo expulso da escola pública. É mandado para uma escola privada na qual será sua última oportunidade de regenereção. Chegando lá tem que se confrontar com os códigos de humilhação dos estudantes veteranos arriscando sua expulsão ou submentendo-se".


O que fazer?


Os pais devem apoiar os filhos, abrindo espaço para que ele fale dos seus problemas, incomodações e sofrimentos, mas não obrigá-lo a enfrentar seus colegas, pois isso pode gerar uma frustração ainda maior para o jovem. Quando a violência ocorre na escola cabe aos pais conversar com a direção. É dever da instituição ensinar os conhecimentos e promover a inclusão social e psicológica.

Um comentário:

  1. Legal ver um tema tão atual debatido aqui no nosso blog! Parabéns!!!

    ResponderExcluir